Blog da Infomoto

Arquivo : scooter

Exposição no Museu da Casa Brasileira em São Paulo conta história da Vespa
Comentários Comente

Infomoto

VESPAA mostra terá modelos de colecionadores, vídeos e fotos para contar a trajetória do scooter mais famoso do mundo

Se você vai estar em São Paulo (SP) nos próximos dias e quer curtir um programa cultural, a dica é a exposição “Vespa: um ícone italiano – História, Cultura e Design”, que abre suas portas no Museu da Casa Brasileira (MCB) entre 10 de junho e 3 de agosto. A mostra conta a história e algumas particularidades  sobre o scooter mais famoso do mundo. No local, estarão fotos vídeos e painéis, além de modelos históricos cedidos por colecionadores e pelo próprio Grupo Piaggio, que mantém um museu dedicado em grande parte à trajetória da Vespa em Pontedera, na Itália.

“Essa mostra revela o quão significativo pode se tornar um produto para além das questões técnicas e de mercado intrínsecas ao universo da produção industrial”, explica Miriam Lerner, diretora geral do MCB. A exposição irá mostrar ao visitante as razões que fazem a Vespa ser vista não só como um meio de transporte, mas como um ícone cultural. “São valores culturais construídos a partir de um produto que atravessa gerações em decorrência da qualidade de seu design”, completa ela. (por Carlos Bazela)

Serviço:

Exposição Vespa: um ícone italiano – História, Cultura e Design

de 10 de junho (abertura às 19h30) até 3 de agosto de 2014

Local: Museu da Casa Brasileira (MCB) – Av. Brigadeiro Faria Lima, 2705, São Paulo (SP)

Horário de Funcionamento: terça a domingo, das 10 às 18h

Ingressos: R$ 4 com entrada franca aos domingos e feriados

Realização: MCB e Instituto Italiano de Cultura de São Paulo

Produção: Arteon Inteligência Cultural

Apoio: Fondazione Piaggio di Pontedera, Museo Piaggio, Centro Multimediale del Cinema e Scooteria Paulista


BMW C600 Sport chega por R$ 52 mil
Comentários Comente

Infomoto

BMW_C_600_SPORTO maxi scooter da BMW foi confirmado para o Brasil na última edição do Salão Duas Rodas, em outubro de 2013

A grande novidade anunciada pela BMW na última edição do Salão Duas Rodas, o C 600 Sport chega agora ao mercado pelo preço de R$ 52 mil. Lançado na Europa no final de 2011, o maxi scooter conta com propulsor de dois cilindros paralelos de 647 cm³ capaz de produzir 60 cv de potência máxima a 7.500 rpm e gerar um torque máximo de 6,73 kgf.m a 6.000 rotações. A seu favor, o modelo tem o design esportivo, rodas aro 15″ e freios ABS de série. O parabrisa com regulagem de altura e a suspensão traseira por monobraço, característica dos modelos de alta cilindrada da BMW também estão presentes no scooter, que terá três opções de cor: azul, branco e preto.

No Brasil, o C 600 terá como rival outros scooters de luxo e grande capacidade cúbica, como o Suzuki Burgman 650, cujo preço é de R$ 42.900 e o Yamaha TMax 530. Também importado, o modelo da marca dos três diapasões foi outro destaque do Salão Duas Rodas 2013 e está disponível no Brasil desde o início do ano por R$ 42.500 (conheça-o aqui). (por Carlos Bazela)


Yamaha TCross: a off-road que já foi scooter
Comentários Comente

Infomoto

POST_TCROSS_1Você pode não acreditar, mas essa off-road foi construída sobre a base do TMax 530

Quando se olha para a Yamaha TCross, fica difícil acreditar que essa agressiva off-road já vestiu o corpo do maxi scooter TMax, modelo de grande sucesso na Europa e que também está à venda no Brasil. Mostrada em novembro passado durante o Salão de Milão, na Itália, a moto foi criada por uma equipe de customizadores a pedido da própria fabricante. Os profissionais foram reunidos em parceria com a revista italiana Riders para mostrar a que ponto uma customização pode transformar um modelo em outro completamente diferente.

E, por diferente, entenda fazer um cruzamento entre um maxi scooter citadino e uma moto desenvolvida para oferecer máximo desempenho sobre terrenos acidentados, no caso a YZ 450F. O grande desafio era, portanto, desenvolver um modelo que reunisse o melhor dos dois mundos, para o qual o TMax contribuiu fornecendo principalmente o propulsor de dois cilindros paralelos de 530 cc capaz de gerar até 46,5 cv a 6.750 rpm.

POST_TCROSS_3A TCross foi criada por uma equipe de customizadores italianos

No primeiro momento, a ideia parece desaguar em alguma espécie de Frankenstein de duas rodas, mas o resultado final surpreende. No visual, a TCross puxou à “mãe”. As linhas presentes nas laterais da moto, o assento e a rabeta vêm da YZ 450F. Já o motor – devidamente assegurado por um protetor metálico – e o câmbio CVT são os traços herdados do T-Max. Há ainda algumas características encontradas na nossa XTZ 250 Lander, por exemplo, como o paralama dianteiro e a pequena carenagem triangular, que molda o farol e pode ser removida para exaltar o aspecto off-road.

Com a mão na massa
“Apenas o motor e o chassi foram mantidos”, disse Riccardo Girardelli, coordenador técnico do projeto. Segundo ele, a primeira etapa para criar a moto foi remover as partes desnecessárias para a “nova vida” do TMax. Desta forma, o escudo frontal com os faróis, todas as partes plásticas, o assento e o tanque de combustível foram descartados.

Eliminado o excedente, era hora de, literalmente, encaixar a base do TMax, no corpo da YZ 450F e o primeiro problema foram as suspensões. De acordo com Girardelli, a balança traseira, feita para rodas de 15 polegadas, era muito curta para suportar as de 17’’ e foi prolongada em 20 mm. O conjunto dianteiro, por sua vez, recebeu o garfo dianteiro com 250 mm de curso do modelo trail, porém teve o ângulo de cáster reduzido em 6 graus em relação ao TMax convencional. Juntas feitas sob medida também foram empregadas para segurar a roda de 19’’.

POST_TCROSS_2É possível ver o motor e o câmbio CVT do TMax incorporados na moto 

Para suportar o tanque e o assento, a equipe construiu um subquadro, feito com partes do chassi off-road da YZ 450F. No geral, a moto é mais baixa do que a off-road da Yamaha, com 900 mm de altura do assento – a YZ tem 999 mm – e mais leve do que o TMax, uma vez que pesa 164 kg sem o combustível, enquanto o maxi scooter aponta na balança 204 kg a seco.

Após finalizar o projeto, o desafio era fazer o TCross funcionar. “Optamos por colocar apenas um botão liga/desliga, como nas motos de enduro. Não há chaves”, comentou Riccardo Girardelli. O chefe do projeto complementa ainda dizendo que ouvir o ronco do motor compensou o trabalho. “Tudo está trabalhando fantasticamente e cada componente funcionou com perfeição”, comenta.

Hipermodificada
A TCross é mais um capítulo do projeto Hyper Modified, no qual a Yamaha convida equipes de customizadores a trazer suas visões singulares para os modelos da marca. Em edições anteriores, o desafio teve como modelo base a power cruiser V-Max e o próprio maxi scooter TMax, que havia sido “cobaia” no ano passado. Entre os participantes já figuraram estrelas do mundo da customização, como Marcus Walz, Roland Sands e Ludovic Lazareth e suas criações foram expostas nas últimas edições do Salão de Milão. A TCross, entretanto, é o projeto mais ousado mostrado até o momento. Desafio superado, portanto. (por Carlos Bazela)

POST_TCROSS_5A balança foi alongada em 20 mm para segurar a roda de 17″

POST_TCROSS_4No visual, a moto puxou à mãe: as linhas da carenagem são da YZ 450F

POST_TCROSS_6Valente, a TCross não se intimida com a ausência de asfalto


Kubo: um scooter para quem vai às compras
Comentários Comente

Infomoto

KUBO_1Projetado pela Lit Motors, o veículo traz um generoso compartimento de carga

Em plena Black Friday, levar para casa tudo que foi possível comprar por conta dos descontos pode ser um problema. Pensando nisso, a Lit Motors, uma pequena empresa sediada na cidade norte-americana de São Francisco, projetou o Kubo. Trata-se de um exótico scooter elétrico, que foi literalmente construído em volta de um compartimento de carga. De acordo com a empresa, o modelo atinge até 72 km/h de velocidade máxima e pode percorrer até 80 quilômetros com uma única carga na bateria. A capacidade de carga total do Kubo é de aproximadamente 136 kg, segundo a Lit, já incluindo o peso do piloto.

KUBO_2A empresa procura financiamento para produzir o Kubo em série

O primeiro protótipo funcional do scooter já está pronto e a companhia entra agora em uma campanha de financiamento para produzi-lo em série. Existe também um vídeo (que você pode ver aqui) no qual Ryam James, Chefe de Marketing da Lit Motors, mostra como o Kubo funciona e se comporta nas ruas. O detalhe fica por conta da direção, na qual os guidões funcionam como alavancas para virar o scooter e da área de carga, que ainda conta com ganchos, para se prender uma rede e assegurar melhor o que estiver sendo transportado, algo útil na hora de fazer as compras no supermercado, por exemplo. (por Carlos Bazela)


Maxi scooter C 600 da BMW vai custar R$ 47 mil
Comentários Comente

Infomoto

BMW_C600_SPORTO modelo chegará importado ao País no ano que vem (foto: Doni Castilho/Agência INFOMOTO)

No último Salão Duas Rodas, a grande novidade da BMW foi a chegada do maxi scooter C 600 Sport (como você viu aqui). Entretanto, a marca bávara ainda não havia confirmado o preço do modelo, que chegará por aqui no ano que vem importado. No último final de semana, durante visita ao Brasil Motorcycle Show, evento realizado em Curitiba (PR) com foco nas marcas premium, a reportagem da INFOMOTO apurou que o C 600 vai custar R$ 47 mil.

Desta forma, o modelo da BMW ficará próximo de outro maxi scooter importado: o Yamaha T-Max 530, cujo preço confirmado pela marca dos três diapasões é de R$ 42.500. Completando a tríade de scooters de média/alta cilindrada, está o Suzuki Burgman 650, que já é vendido no Brasil pelo preço sugerido de R$ 35.900. Com isso, o Brasil vai ficando um pouco mais parecido com a Europa, onde os scooters de alta capacidade cúbica são comuns. Mas, considerando o sucesso das nakeds esportivas no País (que a gente já falou aqui), será que o brasileiro já está preparado para investir toda essa grana em um scooter? (por Carlos Bazela)YAMAHA_T_MAX_530O maxi scooter da Yamaha também chegará aqui por R$ 42.500


Nova Vespa Primavera: releitura de um grande sucesso
Comentários Comente

Infomoto

primaveraVespa Primavera foi relançada neste Salão de Milão com nova motorização e ciclística, mas a mesma elegância do passado

Há exatos 45 anos nascia a primeira versão da Vespa Primavera. Em um curto espaço de tempo, o modelo tornou-se um grande sucesso de vendas em toda a Itália e também em outros países da Europa. Com o passar dos anos, a Primavera ganhou novas versões e sagrou-se como um dos modelos mais populares da história da marca.

linha_do_tempoLinha do tempo contava a história do modelo no estande da Vespa 

Neste Salão de Milão 2013, a Primavera ganhou uma releitura. Foi reinventada, mas sem deixar de oferece elegância estética, além de ter um compromisso com a mobilidade urbana, principalmente nos deslocamentos dos grandes centros urbanos. Dedicado ao público jovem, o scooter oferece agilidade, segurança e economia de combustível, já que promete percorrer mais de 50 km com um litro de gasolina.

Primavera foi relançada para os mercados europeu e asiático

O projeto é bastante inovador: chassi de aço totalmente novo, suspensão dianteira redesenhada, freio dianteiro a disco e uma ergonomia melhorada, pois oferece mais espaço para as pernas. O produto é impulsionado por motores 50 (2T e 4T), 125 e 150, ambos com três válvulas, cuja missão é praticamente zerar o nível de vibração do propulsor.
Produto global, a nova Vespa Primavera traz uma particularidade. O scooter nasce simultaneamente nos continentes europeu e asiático, já que o Grupo Piaggio, dono da marca Vespa, conta com uma linha de produção em Pontedera, Itália, e também no Vietnã. (Por Aldo Tizzani, de Milão, Itália/Fotos Agência INFOMOTO)


Kawasaki lançará seu primeiro scooter em Milão
Comentários Comente

Infomoto

Modelo pioneiro da marca no segmento irá para o mercado europeu e estará disponível já no fim de 2013.

Com a ambição de entrar no crescente mercado voltado para a mobilidade urbana, a Kawasaki decidiu se aventurar pela primeira vez no segmento dos scooters na Europa. O projeto do novo veículo e pioneiro da marca neste estilo, chamado de J300, tem design que lembra as motocicletas esportivas da Kawasaki, com linhas angulares e agressivas. “É muito importante que nosso primeiro passo no mercado de scooter europeu seja com um produto que tenha a ‘cara’ da Kawasaki. Estamos felizes, pois alcançamos isso com o J300”, comentou Keishi Fukumoto, chefe de design da Kawasaki.

Fukumoto explicou ainda, que o desenho final do J300 foi concebido em conjunto pelas fábricas da Kawasaki no Japão e na Europa, e pela parceira Kymco – que fornece peças fundamentais como chassi e sistema de direção. Segundo ele, a sigla “J” significa Jyounetsu, ou paixão, e exprime o sentimento que o DNA da marca passa a seus clientes.

O design do scooter J300 da Kawasaki carrega o DNA das motocicletas esportivas da marca japonesa

Ainda não foram divulgadas mais informações, como ficha técnica e preço. Porém, podemos perceber pelas fotos que o novo scooter da marca, o J300, será equipado com o sistema de freios ABS. Segundo a Kawasaki, o novo modelo será apresentado para a imprensa e público durante o Salão de Milão, no dia 5 de novembro. A INFOMOTO estará por lá para contar todas as novidades.

A parceria entre a Kawasaki e a Kymco vem de longa data. Aqui no Brasil, a marca japonesa expôs scooters Kymco nas últimas edições do Salão Duas Rodas. Apesar do grande número de interessados durante os eventos, os veículos estavam somente para enfeite, sem previsão de chegada. Seria uma preparação do terreno para a chegada do modelo que será lançado em novembro? Ou apenas para ocupar espaço no estande, que era um dos maiores da feira? (por Roberto Brandão Filho)

As especificações técnicas ainda não foram divulgadas, porém podemos perceber que o J300 é equipado com freios ABS


Flagra: mais um scooter Dafra no Salão
Comentários Comente

Infomoto

Flagrado no Rodoanel, em São Paulo, scooter aparente ter motor entre 150 e 200cc

Recebemos de um leitor do Blog da INFOMOTO imagens de um novo scooter circulando pelo Rodoanel, em São Paulo (SP). Pelo porte, o veículo deve ter entre 150 e 200cc. Chamam a atenção as rodas grandes, provavelmente aro 15 ou 16 polegadas, com pneu de medida maior na traseira. Tem ainda lanternas integradas e bagageiro pronto para receber baú. Com transmissão CVT, o novo scooter conta com freio a disco em ambas as rodas e tradicional conjunto de suspensões – garfo telescópico na dianteira e sistema bichoque na traseira.

Mas, infelizmente, não era possível identificar a marca e nem mesmo o modelo do scooter em questão. Até que na segunda foto tivemos uma pista. O modelo trafegava com uma placa verde (que vamos borrar propositadamente), que só é utilizada pelos departamentos de engenharia das fábricas. Consultamos um colega advogado, especialista em restituição de bens, que, em função de sua profissão, ajudou a solucionar o enigma sobre a combinação das três letras e dos quatro números. A conclusão foi simples: a placa de testes está registrada em nome da Dafra.

Placa de testes está registrada no nome da Dafra: scooter usa rodas de 15 ou 16 polegadas

Quase que simultaneamente liguei para a assessoria de imprensa da marca. Claro que não houve a confirmação do lançamento, mas a empresa nos deu um pingo de esperança: “teremos grandes novidades no Salão Duas Rodas”. Bem, a grande novidade, que nós já revelamos, é o Maxsym 400i.

Se confirmado, o novo scooter da Dafra 150/200 será um concorrente do Honda PCX 150, que também usa rodas grandes. O que nos resta agora é esperar até amanhã, 8 de outubro, dia da coletiva de imprensa da marca, para confirmar sua motorização e o preço. (Por Aldo Tizzani)


Scooter elétrico é o primeiro dos lançamentos da BMW para 2014
Comentários Comente

Infomoto

C evolution foi oficializado esta semana, mas os lançamentos da marca não devem parar por aí

Depois de meses especulando sobre qual seria o novo modelo da BMW, eis que a marca bávara se pronunciou. Mas não era bem o que a gente esperava. Durante o Salão de Frankfurt, que vai até 22 de setembro, a BMW oficializou a produção em série do C evolution, que já havia sido apresentado na forma de conceito pela marca no ano passado, em Milão. O novo modelo, que passa a integrar o line-up de maxi-scooters da marca – ainda inédito no Brasil –, conta com motor capaz de gerar 35 kW (47 cv) e torque máximo de 7,3 kgf.m. Segundo a marca bávara, o scooter elétrico, que pesa 265 kg, atinge 100 km/h em 6,2 segundos e sua velocidade máxima está restrita aos 120 km/h. Ainda de acordo com a BMW, o C evolution terá autonomia de 100 km com a bateria, que demora três horas para ser carregada em uma tomada de 220V.

No entanto, ainda há mais na manga da fabricante alemã e o scooter elétrico é apenas a ponta do iceberg. Além da nova naked com motor boxer para comemorar os 90 anos da marca (que nós já falamos aqui, aqui e aqui), novos rumores na imprensa internacional dão conta de que a BMW irá apresentar ainda este ano uma versão atualizada da touring R 1200 RT com o novo propulsor boxer de refrigeração mista com ar e água (aquele que estreou na R 1200 GS este ano) e uma naked feita com base na S 1000 RR no melhor estilo streetfighter. Como sempre, ficaremos de olho em tudo e assim que novidades aparecerem, contaremos para vocês aqui no blog. (por Carlos Bazela)


O encontro de motociclistas mais louco do mundo
Comentários Comente

Infomoto

Apenas mais um participante comum do Mad Bastards Scooter Rally

Imagine o Flash, aquele mesmo da Liga da Justiça, percorrendo uma distância em torno de 850 quilômetros em volta do lago Ontario, no Canadá, pilotando uma scooter de 50cc. Acredite, esta foi uma cena que diversos motociclistas testemunharam na edição 2013 do Mad Bastard Scooter Rally, que aconteceu em junho deste ano. O evento, que acontece a cada dois anos permite a participação de praticamente todos os tipos de scooters que podem estar customizados o quanto a imaginação de seus pilotos permitir.

Criado em 2004, o Mad Bastards Scooter Rally foi uma ideia que surgiu entre os colaboradores do site canadense Canada Moto Guide, como eles mesmos definem, tarde da noite após muitas garrafas de uísque. Eles precisavam de algo para fazer com um Honda Ruckus que estava emprestado para um teste de longa duração – prática comum na mídia automotiva. Mais garrafas vazias e a ideia de um percurso de 850 km em torno do lago Ontario já estava no papel.

O Flash também marcou presença na edição deste ano

Quase dez anos depois, o MBSR reuniu 99 pilotos para a largada, dos quais 76 chegaram ao final. E, claro ainda há a eleição do participante mais maluco do rali. A galeria completa de fotos da aventura está disponível aqui. O clique fica por sua própria conta e risco, mas já avisamos que são quase 700 imagens de pura loucura em duas rodas. (por Carlos Bazela)

Entre as customizações das máquinas, um dragão e um…. pônei?!?!