PUBLICIDADE
Topo

Testamos: Honda CB 500X 2020 quer ser aventureira de entrada por R$ 28.900

Infomoto

01/03/2020 04h00

Modelo chega às lojas em março com roda aro 19 na dianteira e suspensões de curso mais longo

A Honda adicionou uma pitada de aventura à CB 500X 2020. Entre as principais modificações estão a adoção de uma roda dianteira maior e suspensões com curso mais longo. A nova crossover chega agora em março às lojas com preço sugerido de R$ 28.900, com mais versatilidade em um conjunto acessível, abrindo as portas para quem procura uma aventureira moderada, mas não quer gastar muito.Mudanças no design conferiram personalidade à crossover, que se diferenciou ainda mais da naked CB 500F

Esteticamente, a CB 500X ganhou uma nova roupagem no tanque, aletas do radiador, ficou mais "bicuda" e traz para-brisa maior e ajustável em duas posições. O visual está mais encorpado e conferiu certa personalidade à crossover, diferenciando-a da sua irmã naked, CB 500F. Vale destacar ainda o novo painel de LCD, mais completo agora com indicador de marcha e tela blackout. Farol e lanterna continuam de LED, que também equipa as luzes de direção (setas).Para-brisa ficou mais alto e ganhou regulagem (com auxílio de ferramentas); setas agora são de LED

O econômico bicilíndrico de 471 cm³ recebeu modificações internas para melhorar a entrega de torque em médios regimes, mas manteve a potência máxima de 50,4 cv a 8.000 rpm e torque de 4,55 kgf.m a 6.500 giros. Outra novidade no conjunto motriz é a embreagem deslizante e assistida, que reduziu o esforço de acionamento no manete em cerca de 45%.

Ágil e confortávelCB 500X muda de direção com facilidade e contorna curvas com confiança, apesar da roda maior

Neste primeiro contato com o modelo, na região da Serra da Mantiqueira, entre os Estados de São Paulo e Minas Gerais, o test-ride, de cerca de 80 km, começou no asfalto de Campos do Jordão (SP). Ao montar na CB 500X 2020 já se nota uma certa alteração na ergonomia. O guidão está mais alto e próximo do condutor, enquanto o assento ficou mais estreito junto ao tanque, mas manteve o conforto – a mudança fez com que, embora alto (a 834 mm do solo), ainda permita que pilotos de até 1,70 m apoiem os dois pés no chão com facilidade. Um ponto positivo em uma moto feita para quem está começando no mundo das aventureiras, geralmente altas e pesadas.Curso da suspensão dianteira passou de 140 para 150 mm; na traseira foi de 118 mm para 135 mm

Em uma posição ereta e mais elevada, o piloto tem uma visão privilegiada no trânsito urbano e conforto na estrada – o para-brisa protege bem do vento.  Foram precisos poucos quilômetros para que eu me sentisse à vontade ao guidão da nova CB 500X – uma das características das motos Honda é que logo a moto parece "sua", o que agrada a muitos, mas é vista como falta de personalidade por outros.

Nem mesmo a roda dianteira de 19 polegadas prejudicou a agilidade da crossover nas mudanças de direção: o guidão é "leve" e basta alguma pressão nas pedaleiras ou um pequeno contra-esterço para que a CB 500X ziguezagueie por entre os carros com facilidade ou deite na curva com confiança.Formato do alto assento (83,4 cm do solo) facilita apoiar os pés no chão e pilotar em pé

O pacato motor manteve a entrega linear de torque e potência, mas agora demonstra mais fôlego entre 3 e 7 mil giros, pois, segundo a Honda, a admissão de ar e o ângulo de abertura das válvulas foi melhorado, e a ECU foi reprogramada para gerenciar com mais precisão a alimentação.

Pode não ter um excelente desempenho em altos giros e velocidade mais elevadas, mas o bicilíndrico funciona perfeitamente na cidade e nas estradinhas sinuosas que trafegamos. Mesmo que fosse preciso reduzir as marchas, o manete de embreagem agora está muito macio – um dos mais leves que já usei – e as reduções não fazem a roda traseira derrapar e desestabilizar o conjunto. Tudo graças ao novo sistema deslizante e assistido.Motor de dois cilindros manteve potência de 50,4 cv, mas ganhou fôlego entre 3 e 7 mil giros

Apesar das mudanças, o motor continua econômico: no percurso misto com cidade, estrada de asfalto e caminhos de terra batida, o painel indicou 27,6 km/litro de média no computador de bordo – ou seja, uma autonomia de mais de 450 km com o tanque de 17,7 litros. O painel, de fácil visualização, ganhou um útil indicador de marcha que ajuda a economizar, escolhendo sempre a melhor relação no câmbio de seis velocidades. Impressiona a elasticidade do bicilíndrico: é possível rodar a 50 km/h em quarta marcha com respostas prontas e sem o motor "bater pino".

Mas é uma aventureira de verdade?Roda maior e novas suspensões aumentaram a versatilidade da CB 500X

Essa é pergunta que todos fazem. Sejam proprietários dos modelos anteriores, com roda aro 17 na dianteira, ou aqueles que procuram sua primeira moto aventureira, todos querem saber se as mudanças ciclísticas fizeram da nova CB 500X uma aventureira de verdade. Muita calma nessa hora.

A roda dianteira agora usa um pneu mais estreito: 110-80/19 contra os 120/70-17 do modelo anterior. Além de maior, com aro 19, o pneu mais fino ajuda a aumentar a confiança em estradas de terra, "cavando" a aderência em meio a pedras soltas e terra batida.Rodas ainda são de liga-leve, mas pneus não usam câmara 

As suspensões ganharam maior curso. O garfo dianteiro tem 150 mm (eram 140 mm) e o monoamortecedor traseiro tem 135 mm de curso (contra os 118 mm da antiga) – ambos com regulagem apenas na pré-carga da mola. Também foi alterado o acerto, agora muito mais "macio" e capaz de absorver os impactos de buracos e lombadas, mantendo a estabilidade mesmo em terrenos irregulares. Outra vantagem foi o aumento do vão livre do solo: que passou de 167 para 193 mm.

A nova ciclística ampliou, e muito, a versatilidade da CB 500X. Não se sentem mais as batidas de fim de curso na roda dianteira e o conjunto todo enfrenta mais tranquilamente os caminhos ruins, seja uma via mal asfaltada ou uma estradinha de terra batida, como as que enfrentamos próximo à Pedra do Baú, ponto culminante da região com 1964 metros de altitude.No asfalto, proporciona conforto, economia e boa autonomia: fez 27,6 km/litro e rodaria mais de 450 km

As rodas ainda são de liga-leve (criticaram alguns), o que é uma desvantagem no fora-de-estrada, afinal uma trinca pode acabar de vez com sua viagem. Mas, por outro lado, os pneus sem câmara são mais fáceis de reparar em caso de furo – basta um "macarrão", algumas ferramentas e uma bomba para encher, ao invés de ter que retirar a roda e remendar a câmara de ar.

A resposta à pergunta é: a nova CB 500X 2020 é sim mais versátil e aventureira que o modelo anterior, com maior distância do solo, suspensões mais apropriadas e uma roda maior. Mas ela ainda não é uma bigtrail puro-sangue, com rodas raiadas e aro 21 na dianteira, ou seja, uma aventureira de verdade, feita para aqueles que gostam de encarar o off-road pesado. Mas poucos são.Painel é de fácil leitura e completo: tem até computador de bordo e um útil indicador de marcha

E nem é essa a proposta do modelo. A CB 500X (e toda a família 500 cc da Honda) foi projetada para ser a porta de entrada no mundo das motos grandes. No caso da crossover, é o ingresso no segmento de aventureiras, que proporcionam versatilidade, conforto e autonomia. E isso ela faz muito bem.

Afinal, os modelos de entrada no segmento de outras marcas, como a BMW F 750 GS ou ainda Triumph Tiger 800 XR, oferecem melhor desempenho, mais tecnologia, com as mesmas limitações ciclísticas, porém com um preço bem superior – em torno de R$ 40 mil.CB 500X encara numa boa o tipo de "aventura" que a maioria dos motociclistas arriscaria com o modelo

Claro que a CB 500X poderia ter rodas raiadas, com aros externos e pneus sem câmara, controle de tração e manoplas aquecidas, mas isso causaria um aumento de preço bem maior do que os 7% do modelo 2020. Entretanto, com preço sugerido de R$ 28.900, o CB 500X 2020 faz todo o sentido e mantém-se como opção de aventureira abaixo de R$ 30 mil.

É uma moto confortável para o dia-a-dia que ficou muito mais próximo do tipo de "aventura" que a maioria dos motociclistas se arriscaria com o modelo, e sem perder seus méritos no asfalto. Fácil de pilotar e acessível para iniciantes, ao mesmo tempo em que pode ser preparada para longas viagens com alguns acessórios, para que pilotos experientes também possam se divertir com a nova CB 500X. (Texto: Arthur Caldeira/ Fotos: Divulgação)

Infomoto

Arthur Caldeira, jornalista e motociclista (necessariamente nessa ordem) fundador da Agência INFOMOTO. Mesmo cansado de ouvir que é "louco", anda de moto todos os dias no caótico trânsito de São Paulo.

Blog da Infomoto

O blog da INFOMOTO traz novidades, curiosidades, dicas e também os bastidores do mundo de duas rodas. Com uma visão de dentro do capacete.

Blog da Infomoto