Blog da Infomoto

Arquivo : motos customizadas

Estreia hoje minissérie que conta a história da Harley-Davidson
Comentários Comente

Infomoto

1397_530RPM_Harley_A_SerieA série mostra como o sonho dos irmãos Arthur e Walter Davidson e de Bill Harley deu origem à mais famosa marca americana de motos 

A história da mais famosa fábrica de motocicletas norte-americana virou minissérie: “Harley and the Davidsons”, que estreou em 3 de setembro no Discovery Channel nos Estados Unidos, também será exibida no Brasil. Com o título em português de “Harley-Davidson: a série”, a minissérie vai estrear hoje, 23 de setembro, no canal de TV paga Discovery Channel, às 22h10, no bloco “Sexta de Motores”.

386_291AOGUIDAO_HD_Museu_03_Harley_01A HD 01, a primeira Harley, está em uma redoma de vidro no museu da marca nos EUA

Composta por três episódios, cada um deles com duas horas de duração e exibidos às sextas-feiras subsequentes, a produção baseia-se em fatos reais para reconstituir o tortuoso caminho rumo ao sucesso percorrido por Arthur e Walter Davidson e o amigo deles, Bill Harley. Nos papéis principais estão os atores Michiel Huisman e Robert Aramayo (ambos atuaram em Game of Thrones) – como Walter Davidson e Bill Harley, respectivamente –, e Bug Hall (de Os Batutinhas) como Arthur Davidson.

386_291AOGUIDAO_HD_Museu_04No museu da Harley em Milwaukee as motos estão divididas por década

A série retrata o nascimento da fábrica de motos durante a virada do século 20, numa época de profundas transformações sociais e também tecnológicas. Neste cenário, os irmãos Walter e Arthur Davidson, e seu amigo, Bill Harley arriscaram todas as suas economias para investir na companhia. Em uma viagem pela história do design, da mecânica de motocicletas e do empreendedorismo, a minissérie narra como eles conseguiram estruturar e viabilizar o sonho de ser a marca número 1 em motocicletas. (Por Arthur Caldeira)

Serviço
“Harley-Davidson: a série”
Discovery Channel
Estreia: 23 de setembro às 22h10 (Episódio 1)


Nacionalizada, nova BMW F 700 GS chega por  R$ 39.950
Comentários Comente

Infomoto

BMW_F700GSA bigtrail será produzida na nova fábrica da BMW em Manaus (AM)

A BMW anunciou a chegada e a pré-venda F 700 GS. A moto estará disponível em novembro, com preço especial de R$ 39.950. A bigtrail será produzida na nova fábrica da BMW em Manaus (AM). Ágil no asfalto e versátil na terra, a nova BMW F 700 GS traz boa dose de tecnologia.  A moto está equipada com motor de dois cilindros e oito válvulas com duplo comando, 798 cc de capacidade cúbica, refrigeração líquida, que gera 75 cv de potência e torque máximo de 7,85 kgf.m. Completa, a F 700 GS será vendida com sistema de freios ABS, manoplas aquecidas e protetores de mãos, controle de pressão dos pneus (RDC), computador de bordo, controle de tração (ASC). Além de rodas de liga-leve, luzes indicadoras de direção em LED e cavalete central. Para os motociclistas de baixa estatura uma boa notícia: o modelo vem com altura do assento menor em relação ao solo (820 milímetros) – ou seja, mais baixo se comparado com a irmã mais velha, a F 800 GS. (Por Aldo Tizzani)

BMW_F700GS_2A BMW F 700 GS está equipada com motor de dois cilindros que gera 75 cv


Nova Ducati 959 chega em novembro
Comentários Comente

Infomoto

959_PanigaleA nova 959 traz motor de dois cilindros em “L” de 157 cv de potência

Famosa pelas suas motos esportivas, a Ducati anunciou um reforço para seu time de superbikes no Brasil: a nova 959 Panigale deverá chegar ao País em novembro. A menor esportiva da família Panigale traz o design inspirado na sua irmã maior, a 1299, e está equipada com motor de dois cilindros em “L” que produz 157 cv de potência máxima. A 959 Panigale, a exemplo de outros modelos da marca italiana, conta com uma boa dose de eletrônica embarcada: controle de tração, modos de pilotagem, acelerador eletrônico (ride-by-wire) e sistema de freios ABS. A “Panigalina”, apelido dados pelos italianos para a mini Panigale, usa o motor Superquadro, de dois cilindros em “L” e 955 cm³, que gera respeitosos 157 cv a 10.500 rpm de potência máxima e que 10,9 kgf.m a 9.000 rpm, de torque máximo. E o câmbio é de seis velocidades, com quick shift (DQS). Para conseguir este desempenho, o motor da 959 recebeu várias mudanças: teve seu virabrequim redesenhado, ganhou novas bielas, pistões, sistema de lubrificação e tampas dos cabeçotes em alumínio. Tudo para oferecer máximo de desempenho, reduzir peso e estar de acordo com as normas europeias de antipoluição. Normas que, aliás, obrigaram a Ducati a adotar uma solução estranha no escapamento. A ponteira dupla pode até seguir as regras antipoluição Euro 4 (equivalentes à segunda fase do Promot 4 em vigor no Brasil), mas acabou com a harmonia do design italiano.

523MUNDOMOTO_959_Panigale_06

Com design arrebatador, a superesportiva deverá custar cerca de R$ 65 mil

Na parte ciclística, a nova superbike italiana usa quadro monocoque em alumínio. O chassi, espécie de espinha dorsal da moto é compacto, rígido e, ao mesmo tempo leve. Detalhe: a estrutura é derivada das motos que competem na MotoGP e foi desenvolvida em parceria com o piloto Valentino Rossi, que fez parte do time italiano entre 2011 e 2012. O quadro abraça o motor Superquadro e também recebe os conjuntos de suspensão e freios. Na dianteira, a 959 Panigale conta com suspensão invertida (upside-down) Showa com tubos de 43 mm, 120 mm de curso e é totalmente ajustável.

523MUNDOMOTO_959_Panigale_01A “Panigalina” traz o que há de mais moderno em termos de tecnologia

Para garantir um maior controle, a superbike italiana ganhou um eficiente amortecedor de direção. Para completar, discos duplos semiflutuantes, com pinça de fixação radial da grife Brembo e cáliper de quatros pistões. Diferentemente de sua irmã mais velha, a 959 não usa monobraço, mas sim balança tradicional em alumínio e monomartecedor com 130 mm de curso e múltiplas regulagens (Sachs). O sistema de freios traz disco simples, de 245 mm de diâmetro e cáliper de dois pistões. O sistema de freios ABS de última geração – Bosch ABS 9MP – está presente em ambas as rodas. Para completar, a Panigalina adotou rodas de liga leve de dez raios, calçadas com pneus Pirelli Diablo Rosso Corsa nas medidas: 120/70 ZR17 (D) e 180/60 ZR17 (T). A moto pesa 176 kg (a seco).
523MUNDOMOTO_959_Panigale_09O modelo é upgrade para motociclistas donos de motos entre 600 e 750cc

O pacote tecnológico da 959 é bastante completo. O cérebro eletrônico do modelo esportivo italiano faz todo o gerenciamento da tecnologia embarcada, principalmente quando os modos de pilotagem – Race, Sport e Wet (específico para piso molhado) – e o controle de tração com oito níveis de atuação – proveniente das motos de competição – atuam em conjunto para oferecer mais controle e segurança. Todas as mudanças eletrônicas da moto são bastante intuitivas e o piloto pode acompanhar todas as informações via painel de LCD, que fica protegido pela bolha. A nova superbike italiana desembarca no Brasil em novembro, porém o valor não foi divulgado pela Ducati do Brasil. Mas como a 1299 Panigale ABS 2016 tem preço sugerido de R$ 79.900, a 959 deverá chegar na casa de R$ 65.000. (Por Aldo Tizzani)


Indian adota central multimídia na linha 2017 para se igualar a Harley
Comentários Comente

Infomoto

Rivais de longa data, Harley-Davidson e a renascida Indian Motorcycles têm travado uma boa briga pela preferência do consumidores de motos custom americanas. O mais novo capítulo dessa “briga” é o completo sistema de infotainment que a Indian, marca adquirida em 2012 e renovada pela Polaris, adotou em algumas motos modelos 2017.

Todd Williams PhotographyTela touch e colorida de 7”, sistema de som de 200 W e GPS inclusos nos modelos 2017 da Roadmaster e Chieftain

A Roadmaster e a Chieftain, ambas topo de gama da Indian, virão equipadas com uma central multimídia com tela de 7’’ polegadas totalmente colorida com tecnologia touch e Bluetooth no modelo 2017. O novo sistema, batizado de Ride Command, irá permitir que o motociclista conecte o seu smartphone, faça uma chamada ou ouça música via Bluetooth, como no sistema atual da Harley. Aliás, o sistema de som das Indian também evoluiu. Ainda não chegam aos 300 W da Harley CVO Street Glide , mas agora são 100 watts para a Chieftain e 200 watts para a Roadmaster.

WM1_Indian4Há três telas nas quais o motociclista escolhe as informações que quer visualizar

O sistema conta com três telas personalizáveis, nas quais o piloto poderá escolher as informações que deseja ver em cada uma delas: estado geral da moto (pressão dos pneus, tensão da bateria, horas de uso do motor, próxima troca de óleo); informações sobre a unidade (velocidade, combustível, RPM, indicador de marcha), Trip 1; Trip 2; programação do passeio, configurações de áudio e mapas de navegação. A tela tátil também permite ampliar o zoom como fazemos nos smartphones. Se quiser saber mais sobre o sistema Ride Command, que deverá chegar aos modelos vendidos no Brasil em 2017, assista ao vídeo explicativo (em inglês) que abre o post. Nessa briga de duas lendárias marcas americanas quem ganha é o consumidor. (Por Arthur Caldeira)
Todd Williams PhotographyAlém da Roadmaster (foto), a Chieftain terá o sistema RideCommand para 2017


Novo jogo “Ride 2″ terá pista molhada, supermotos e cafe racers
Comentários Comente

Infomoto


Lançado em 2015, como o “Gran Turismo” das motocicletas, o jogo Ride vai ganhar uma sequência. A da desenvolvedora Milestone lançou nesta semana um trailer de”Ride 2″ e definiu a data de lançamento para 7 de outubro deste ano. O simulador de motocicletas ganhou diversas novidades, entre elas a modalidade Supermoto com três pistas oficiais, além de novos modelos de motos, como a Kawasaki Ninja H2R. “Ride 2″ ainda terá motos customizadas como cafe racers.

Ride2_cafeCafe racers customizadas podem ser pilotadas em novo jogo “Ride 2″

Outra boa novidade alardeada pelos desenvolvedores são as condições de chuva para todas a pistas, que incluem circuitos fechados e estradas famosas. A Milestone afirma também que investiu pesado na captação de som das motocicletas, a pedido dos jogadores. Para isso, as motocicletas foram levadas para um dinamômetro em uma locação especial, onde receberam diversos microfones – no motor, na entrada de ar, na saída de escapamento e até mesmo na embreagem. Tudo para garantir uma experiência de pilotagem virtual ainda mais próxima da realidade.

ride2-supermoto-Honda-CRF-450-Sugo-screenshots-06-26-2016_01 Supermoto e pistas oficiais da modalidade é uma das novidades do game

No restante, “Ride 2″ traz as funcionalidades que fizeram do primeiro jogo um dos melhores simuladores de motocicletas para videogame. Na sequência será possível fazer ajustes no motor, nos freios, nas rodas, nas suspensões e até mesmo na caixa de marchas, com a novidade de uma transmissão “racing” específica para corridas em circuito fechado e que permite instalar carenagens de fibra de carbono para reduzir o peso da moto nas provas mais extremas.

ride2-screenshots-06-18-2016_05Ride 2 traz novos modelos, como a BMW R nineT

A parte estética da motocicleta, assim como o equipamento de proteção do jogador, podem ser personalizados de acordo com o gosto do jogador. Uma boa diversão para os motociclistas em dia de chuva ou até mesmo para os pilotos de sofá.

Screen_07_-copy-1024x576Será possível pilotar em condições de chuva em qualquer pista

Ride 2″ já está em fase de pré-venda para a África e Europa via download e em determinadas lojas. Quem adquirir o jogo, que estará disponível para PlayStation4, Xbox One e Windows PC/STEAM, antecipadamente receberá um código para um DLC (Downloadable Content) que incluirá a Suzuki Hayabusa 2015, a Aprilia Tuono V4 Factory 2015 e 10 capacetes exclusivos. (Por Arthur Caldeira)

template2-1024x576Desenvolvedores investiram para melhorar o som das motos em Ride 2


Novo recall da Harley atinge 323 motos Touring
Comentários Comente

Infomoto

Electra_Glide_Ultra_LimitedAgora o recall envolve os modelos Ultra Limited e Street Glide Special

A Harley-Davidson anunciou hoje (25/07) campanha de recall de 323 unidades dos modelos Tourig Electra Glide Ultra Limited e Street Glide Special, fabricadas entre 2015 e 2016. O objetivo é realizar a desmontagem do cilindro mestre da embreagem hidráulica, lavar com solução apropriada e posteriormente remontar o sistema. O chamamento preventivo se faz necessário em função de uma eventual reação química dentro do cilindro mestre que pode impedir o desengate da embreagem após longos períodos de inatividade. Como consequência, o sistema continuará engatado, situação que poderá ocasionar a queda do motociclista, com eventuais danos físicos e materiais, inclusive a terceiros. Em maio, a H-D já havia convocado recall de 196 motos da família Dyna, modelo Low Rider, por problema no interruptor de ignição.

Confira os números dos chassis – não sequenciais – que devem aderir a campanha:

Modelos    Ano de fabricação      Ano modelo       Chassi não sequencial

Electra Glide Ultra Limited     2015 e 2016      2016 9321KELJ0GD607271 à 9321KELJ9GD664522 e 9321KELJXGD609058 à 9321KELJXGD666974

Street Glide Special      2015 e 2016      2016 9321KRMJ0GD618194 à 9321KRMJ9GD664543 e 9321KRMJXGD611186 à 9321KRMJXGD654524

Street_Glide_SpecialO reparo no cilindro da embreagem dura cerca de 1h30

Para certificar se a sua moto deve ser direcionada a uma concessionária, a HD abriu três canais de comunicação com seus clientes: pelo site da empresa (www.harley-davidson.com.br), no SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) – 0800 724 1188, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h (exceto feriados) – ou ainda por e-mail (sac@harley-davidson.com.br). As Harleys abrangidas pelo recall serão inspecionadas e, acaso apresentem o problema, serão imediatamente reparadas. Segundo a marca, o serviço é gratuito e tem duração de cerca de 1h30. (Por Aldo Tizzani)


No Dia do Rock, uma homenagem ao “rei motociclista”
Comentários Comente

Infomoto

ENTHUSIAST_Elvis

O rei do rock e sua moto foram capa da revista “The Enthusiast”

No Dia Mundial do Rock – 13 de julho – não poderíamos deixar de homenagear Elvis Presley. Com sua voz inconfundível e dezenas canções inesquecíveis, o “rei do rock” era um fanático por carros e, principalmente, por motos. Na Mansão Graceland, em Memphis, no Tennesse, há 20 veículos que pertenceram ao interprete. Entre eles o famoso Cadilac Eldorado 1956 e duas Harley-Davidson – uma Electra Glide 1200 e outra chopper, ambas da década de 1960, além de um  tricilo.

H_D_Elvis

A H-D KH é uma das atrações da marca em Milwaukee (EUA)

Um dos primeiros contatos do rei com o mundo das duas rodas foi em 1956. Elvis comprou uma Harley por US$ 903. Com a H-D, O jovem pop star foi a capa da edição de maio da “The Enthusiast”, publicação da própria Harley. No Museu da Harley em Milwaukee (EUA) é possível ver a moto vermelha, com detalhes em branco no tanque e e um enorme parabrisa.  Ao longo dos anos, o rei do rock comprou outras motos de vários fabricantes. Era um aficionado pelo mundo das duas rodas. Vale a lembrança do rei do rock que nos deixou em 1977.  (Por Aldo Tizzani).

 


Em novo “Caça-Fantasmas” uma rara Harley 2T será a Ecto-moto
Comentários Comente

Infomoto


Se você está beirando os 40 anos, certamente se lembra dos desenhos e, principalmente, do filme “Caça-Fantasmas” (Ghostbusters, 1984) estrelado pelos hilários Billy Murray, Dan Aykroyd, Harold Ramis e Ernie Hudson como os quatro doidos que caçavam fantasmas pelas ruas de Nova Iorque no Ectomóvel, um estiloso Cadillac Ambulância de 1959.

ghostbusters-2016-columbia-kristen-wiig-leslie-jones-kate-mckinnon-melissa-mccarthy-081815As Caça-Fantasmas do novo filme, que estreia em 14 de julho

Para satisfazer nossa nostalgia, haverá um novo filme dos Caça-Fantasmas, mas agora com quatro mulheres nos papéis principais. Além da novidade das protagonistas femininas, o filme trará um novo veículo para o time de caça-fantasmas: uma moto, batizada de Ecto-2.

df-08624A “Ecto-moto” do novo Caça-Fantasmas

No segundo trailer oficial, divulgado nesta semana e que você pode ver acima, o personagem de Chris Hemsworth, Kevin, o assistente que as garotas contratam para ajudá-las, aparece pilotando a Ecto-2 e até arriscando umas empinadas em uma das cenas. A moto caça-fantasmas tem bagageiro e dois canhões sobre o guidão, além do logo da equipe no tanque.

17-chris-hemsworth-ghostbusters.nocrop.w529.h708O personagem de Chris Hemsworth acelera a Ecto-2: a fumaça não deixa dúvidas de se tratar de uma moto 2T

Como a moto tem um estilo scrambler, que parece dos modelos dos anos de 1970 (e me agrada), fiquei curioso em saber qual modelo era. Depois de alguma pesquisa nos sites de motos e de cultura nerd por aí, descobri que se trata de uma rara Harley-Davidson SX 175 com motor dois-tempos e escape alto. Isso mesmo, nos difíceis anos 70 com crise do petróleo e à beira da falência, a fábrica americana variou o seu line-up e utilizou o motor da italiana Aermacchi, que chegou a adquirir parte da Harley.

b23346c197b7ca0e85b058f6d5b6c70fA H-D SX 175 tinha um monocilíndrico 2T com CDI, um avanço na época

Enfim, um pouco de cultura motociclística e nostalgia da infância no novo filme “Caça-Fantasmas”, que tem estreia prometida para 14 de julho deste ano aqui no Brasil. O diretor Paul Feig já adverte não se tratar de um remake: “pensavam que iríamos filmar o roteiro original”. Os personagens principais do Caça-Fantasmas original devem fazer participações especiais no novo filme. Embora o primeiro trailer. divulgado em março, tenha sido muito criticado, este novo até me animou a ir ao cinema para ver os engraçados fantasmas e essa rara H-D. (Por Arthur Caldeira)


Diablo Brutale 800: design e esportividade “made in Italy”
Comentários Comente

Infomoto


Desde seu lançamento em 2001, a MV Agusta Brutale definiu os padrões do segmento de naked esportivas. Atualizado para este ano, o modelo ganhou nova roupagem, além de ter seu motor tricilíndrico de 800cc renovado e sua ciclística, aprimorada. Para celebrar os 15 anos dessa radical naked e promover o novo pneu Pirelli Diablo Rosso III, as duas empresas criaram uma versão especial e única: a Diablo Brutale.

1321_513SHOWBIKE_DIABLO_BRUTALE_800_9Versão especial e única da radical naked homenageia a parceria entre a MV Agusta e os pneus Pirelli

Fornecedora de equipamento original para a MV Agusta desde 2011, a Pirelli entrou com seu mais recente pneu Diablo Rosso III, nascido das pistas para as estradas. Nas medidas 120/70 ZR17, na dianteira, e 180/55 ZR17, na traseira, o pneu é equipamento original da renovada naked 800.
Para esta edição exclusiva, a Brutale ganhou um acabamento na cor preto fosco, que contrasta com luminoso tom de vermelho, que faz referência ao pneu. Além do logo do pneu no tanque de 16,5 litros, a típica ranhura em forma de raio da banda de rodagem aparece no para-lama dianteiro e na traseira. Para dar um toque final, a Pirelli equipou essa Brutale especial com um jogo de pneus com grafismo em vermelho.

1321_513SHOWBIKE_DIABLO_BRUTALE_800_7Os pneus Pirelli Diablo Rosso III tem acabamento diferenciado na showbike

A showbike é uma única unidade da nova MV Agusta Brutale 800, que nasceu como um tributo ao design, à esportividade e à alta tecnologia do novo pneu superesportivo da família Pirelli Diablo. Ela também celebra a parceria entre as duas empresas que possuem tradição no mundo do motociclismo e fazem a fama do design “made in Italy”.

1321_513SHOWBIKE_DIABLO_BRUTALE_800_8
Renovada para 2016, a Brutale 800 foi aprimorada, mas não perdeu seu DNA 

Totalmente redesenhada, mas sem perder sua essência, a Brutale 800 2016 ganhou novo conjunto óptico em LED e um novo suporte de placa, que deixa a rabeta ainda mais radical e minimalista. Entretanto, os traços marcantes da naked foram conservados. Quadro em treliça, as três saídas de escapamento e a bela roda de liga leve exposta, em função do uso de um engenhoso monobraço na suspensão traseira.

A Brutale 800 está equipada com a última geração do motor de três cilindros, quatro tempos, 12 válvulas, de exatos 798 cm³, que ganhou mais torque – 8,4 kgf.m a 7.600 rpm –, porém sofreu uma leve redução na potência máxima, passando de 125 cv, para 116 cv a 11.500 rpm.

O cardápio eletrônico inclui controle de tração ajustável em oito níveis, freios ABS e câmbio assistido (quickshift) que permite subir ou descer marchas sem o auxílio da embreagem. (Por Arthur Caldeira)


Uma famosa Harley-Davidson Fat Boy
Comentários Comente

Infomoto

Fat_Boy_Jo_01A HD Fat Boy customizada já pertenceu ao humorista Jô Soares

Nessa andanças de moto pelo Brasil sempre descobrimos algo novo: uma praia deserta, uma cabana aconchegante sobre as árvores ou até um restaurante com culinária afrodisíaca. Neste roteiro pelas serras gaúchas encontramos uma famosa Harley-Davidson Fat Boy. Em 1995, o empresário José Antonio Cavallet, de Bento Gonçalves (RS), havia vendido sua HD Shovelhead 1971 e buscava outro modelo para continuar suas viagens pelo Sul do país. Depois de muita pesquisa, encontrou uma Fat Boy em São Paulo. Proposta feita, valor acertado, uma boa dose de mistério e uma grande surpresa: Cavallet comprou a moto do humorista Jô Soares – o documento da moto estava em nome da empresa do rechonchudo comediante – Jô Soares Produções Artísticas.

Fat_Boy_Jo_03Na documentação, a moto podia rodar na cor verde ou vermelha

Foi nessa Fat Boy que o hilário garoto gordo levou um tombaço no início da década de 1990 e quebrou o braço. Na época, com 54 anos, o artista disse que pilotava motos desde os 13. Os anos se passaram e hoje o apresentador deixa claro sua aversão por veículos de duas rodas.  Há outra curiosidade envolvendo a Harley do Jô. Na documentação estava registrada uma HD Fat Boy 1991 na cor verde, com uma observação: “kit opcional (tanque e para-lamas) na cor vermelha”. Em mais de 20 anos nas mãos de Cavallet, a Fat Boy 1130 – numa referência ao programa do Jô na TV (quando ainda estava no SBT) – ganhou pintura personalizada, novo guidão e um kit traseiro importado dos Estados Unidos, com balança, roda e pneu de 200 mm.  “O primeiro do Sul nesta medida”, orgulha-se Cavallet, dizendo que á fã do motor carburado de sua Harley.

Fat_Boy_Jo_02Há duas décadas a moto é cuidada pela equipe da oficina MotorNew em Bento Gonçalves (RS)

Além da Fat Boy 1130, e de uma Heritage – na qual rodou mais de 140 mil quilômetros – que recentemente foi vendida, o aposentado tem hoje um HD Ultra Limited 2015, na qual pratica o mototurismo com sua esposa. Só para registrar, Cavallet, de 62 anos, pilota motos desde 1971. (Texto e Fotos Aldo Tizzani)